" Rosa Antuña exemplifica o sentido mais pleno de uma espécie de beleza." / "Rosa Antuña exemplifies the fullest sense of beauty." O Estado de São Paulo

" Mais que bailarina, uma artista em plenitude." / "More than a dancer, an artist in plenitude."
Hoje em Dia - Belo Horizonte, MG

“ Vale salientar o refinamento de Rosa Antuña, que também fala, canta e toca instrumentos, habilidades que se somam para projetá-la entre as melhores bailarinas do País.” / "It is noteworthy to point out the refinement of Rosa Antuña, who speaks, sings and plays instruments, skills that combine to project her amongst the best dancers within the country."
O Estado de São Paulo

Páginas

Próximas apresentações/ Next presentations

PARIS:

- 9 de junho, às 18:00hs – “O Vestido” – Festival Dança em Trânsito - Centre Les Récolletes, Jardin interieur 150-154 rue du Fauburg, Saint-Martin – Paris, França

- 10 de junho, às 21:30hs – “O Vestido” – Festival Dança em Trânsito – Point Éphémère 200 Quai de Valmy - Paris, França

domingo, 29 de março de 2015

A Mulher que Cuspiu a Maçã

“O feminino tornou-se misterioso devido ao massacre ao qual foi sucumbido pelo patriarcado. A Igreja acabou com o feminino. O Deus único e tirano tornou-se modelo a ser seguido. Um modelo deturpado e incoerente. Um modelo criado por homens.
O patriarcado oprimiu violentamente a mulher em todos os níveis. Mas aprisionou os homens também num papel e padrão de comportamento específicos.
Este foi um mal tão profundo, que criou desdobramentos em nossa sociedade até os dias de hoje.
O resultado que tivemos foi uma sociedade falsa, culpada, doente, machista, destituída de prazer saudável, destituída da harmonia da vida.
E como se remove preconceito, culpa, crenças e dogmas da sociedade?
Através da mudança de um pensamento.
Conseguir que a sociedade evolua em relação à harmonia entre os sexos é um desafio a ser enfrentado. O que temos hoje são pessoas, agrupamentos, coletivos, pensadores que funcionam como um foco de lucidez social. O trabalho ainda é árduo.

“A Mulher que Cuspiu a Maçã” é um espetáculo que busca revelar a verdade de uma mulher de agora, livre de paradigmas e dona das suas próprias escolhas.”

Rosa Antuña

fotógrafa: Duda Las Casas

A Mulher que Cuspiu a Maçã - Ficha Técnica / credits

Concepção e Atuação/ creation and acting: Rosa Antuña

Direção/ direction: Roberta Carreri

Figurino/ costume : Rosa Antuña

Trilha (compilação) /sound treck : Rosa Antuña

Luz/ light designer : Mário Nascimento

Produção/producer : 
Dri Sodré


Apoio/ support: 
Stúdio It, Cia MN












Fotógrafa: Duda Las Casas

A Mulher que Cuspiu a Maçã - histórico de apresentações

2015
- 20 de novembro - Holstebro, Dinamarca - Odin Teatret
- 22 de setembro - Belo Horizonte - CRModa
- 30 de agosto - Belo Horizonte - Teatro Francisco Nunes
- 27 e 28 de agosto - Belo Horizonte - Funarte
- 20 de agosto - Belo Horizonte
- 18 de agosto - Belo Horizonte
- 17 de julho - Belo Horizonte - CRModa
- 7, 8, 9 e 10 de maio - Estreia - Belo Horizonte - CCBB
- 24 de abril - Pre-estreia - Brasília - Teatro da Caixa

2014
- 12 e 15 de dezembro - work in progress na sede do Odin Teatret - Holstebro, Dinamarca

fotógrafa: Duda Las Casas

sábado, 21 de março de 2015

Fotos : A Mulher que Cuspiu a Maçã / The Woman Who Spat Out the Apple


 foto: Duda Las Casas

foto: Duda Las Casas

foto: Duda Las Casas

O Encontro com Roberta Carreri


Agora, nessa nova montagem, Rosa Antuña sentiu a necessidade de aprimoramento de técnicas cênicas e artísticas, partindo então para uma residência no Odin Teatret, em Holstebro, na Dinamarca, sob a orientação da atriz Roberta Carreri.

Seu primeiro contato com esta Companhia foi em dezembro de 2008, em Brasília, quando a artista participou da Primeira Imersão com Eugênio Barba, diretor do Odin Teatret e da atriz Júlia Varley.

Em janeiro de 2013, no Rio de Janeiro, participou do Workshop "A Dança das Intenções" de Roberta Carreri, atriz do Odin há 40 anos. E neste primeiro contato, Rosa Antuña sentiu uma profunda identificação artística com ela. Em janeiro de 2014, fez o módulo aprofundamento de "A Dança das Intenções", novamente no Rio de Janeiro, com Roberta Carreri. E em março do mesmo ano participou do Odin Week, seminário internacional na sede do Odin Teatret, na Dinamarca. Foram dez dias de imersão, assistindo peças do repertório do Odin, filmes sobre eles, palestras, conversas e workshops com todos os artistas da Companhia. Chegando ao final dessa experiência Rosa Antuña fez o convite à Roberta Carreri, para orientá-la em seu próximo trabalho solo “A Mulher que Cuspiu a Maçã”. 

foto Duda Las Casas